Flores

Ikebana

Ikebana



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Ao longo dos séculos, a tradicional Ikebana evoluiu para vários estilos que se destacam pelo uso de recipientes, objetos, flores e métodos de layout, mas a arte floral nunca perdeu sua principal razão: incorporar um processo de escolha e composição não apenas estética, mas sobretudo interior, para ser apreciada e desfrutada. Ikebana é de fato uma expressão de alegria e amor à natureza, é uma arte criativa que tem o objetivo de "reviver flores", mas é acima de tudo uma disciplina espiritual que, através do arranjo de flores de acordo com certas normas, visa alcançar equilíbrio e harmonia. Embora tenha nascido como um ritual religioso, seus princípios foram adaptados a todos os contextos cotidianos: reproduzindo formas naturais em casa em uma escala reduzida, a arte floral japonesa visa criar um relacionamento entre o homem e a Natureza e ativar uma conexão constante entre dentro e fora.Ikebana é baseado em linha, ritmo e cor. Seu conceito fundamental é o triplo simbolismo: céu, homem e terra formam a estrutura geral da composição, reproduzindo as principais categorias do Universo. Ramos e flores são, portanto, organizados de acordo com um sistema ternário, formando um triângulo irregular: o ramo mais longo, chamado "primário" ou "Shin", é o eixo principal e representa o céu, o ramo mais curto e mais exposto, chamado "terciário "Ou" Hikae ", representa a terra; o ramo intermediário, "secundário" ou "Soe", é um símbolo do homem. Todos os elementos devem estar firmemente fixados a um suporte, dando a impressão de pertencer espontaneamente, sem esforço, ao mesmo tronco; também é dada grande importância ao espaço circundante, que deve ser vazio e branco, expressão natural do ar e do invisível.ikebana: MATERIAIS E FLORIGRAFIA


Enquanto as composições ocidentais analisam a quantidade, a cor e a simetria da obra, a arte japonesa está atenta acima de tudo à sobriedade e à exaltação da essência de cada elemento, em um todo irregular e harmonioso.
Todos os elementos utilizados (galhos, folhas, ervas, flores) devem ser preferencialmente de natureza orgânica e crescer espontaneamente durante a composição. As flores que floresceram completamente raramente são usadas, para não obscurecer a elegância da linha e é possível contemplar a floração. Além disso, as flores que já floresceram tendem a secar e morrer rapidamente, sugerindo uma idéia de transitoriedade e decomposição que não se encaixa na filosofia de Ikebana, cujo objetivo é, em vez disso, deixar as flores cortadas continuarem a viver.
De acordo com a cultura japonesa, cada flor transmite uma mensagem específica e expressa os sentimentos mais profundos da alma humana. Ikebana, portanto, também está intimamente ligada a festividades e celebrações familiares, de modo que uma determinada composição é adequada para todas as situações: por exemplo, narcisos, orquídeas e peônias desejam a dois jovens cônjuges alegria, prosperidade e longevidade; para a festa das meninas, comemorada no início de março, são usados ​​botões de pêssego; para a festa dos meninos, no início de maio, os ireos; a tríade de bambu, pinheiro e ameixa, mas também crisântemos, flores de cerejeira e frutas vermelhas é propícia ao Ano Novo.